Parque Tanguá
Jardim Botânico
Parque Barigui
Ópera de Arame
Paço da Liberdade
Fim de tarde em Curitiba-PR
previous arrow
next arrow
Slider

Minicurso 1 - Dívida Técnica: como profissionais da indústria de software têm lidado com o assunto e como podem se beneficiar de sua aplicação

Quarta-feira, dia 17/10/2018, das 13:30h - 18:00h

Descrição:

O conceito de dívida técnica contextualiza o problema das tarefas de desenvolvimento pendentes como um tipo de dívida que traz um benefício a curto prazo para o projeto, em termos de maior produtividade e menor custo, mas que poderão ter que ser pagas com juros mais tarde no processo de desenvolvimento. Atualmente, a dívida técnica é reconhecida como uma questão crítica na indústria de software, sendo prejudicial para empresas de desenvolvimento. Ela pode resultar, por exemplo, em altos custos inesperados, graves problemas de qualidade e incapacidade de adicionar novos recursos ao projeto.

Além de apresentar conceitos, tipos de dívida conhecidos, causas que levam à sua ocorrência e efeitos de sua presença, este curso também discute alternativas para a gestão dos itens de DT. Serão discutidas estratégias existentes e critérios que podem ser utilizados na priorização do tratamento de itens da dívida. Serão ainda discutidas ações que podem ser realizadas para apoiar a identificação de itens de DT, realizando uma análise sobre estratégias manuais e automatizadas.

Serão apresentados resultados do projeto InsighTD (www.td-survey.com), que é um estudo em larga escala que tem sido replicado em diferentes países e que busca compreender, sob a perspectiva de profissionais da indústria de software, as causas e efeitos da dívida técnica e como eles têm lidado com o conceito.

O conteúdo do curso será transmitido utilizando um conjunto de estudos práticos intercalados com apresentações conceituais.

Instrutor:

Rodrigo Oliveira Spínola é Doutor e Mestre em Engenharia de Sistemas e Computação pela COPPE/UFRJ. Realizou estágio de Pós-Doutorado na Universidade de Maryland e no Fraunhofer Center for Experimental Software Engineering, onde realizou pesquisas sobre dívida técnica e engenharia de software experimental. Atualmente é professor titular do Programa de Pós-Graduação em Sistemas e Computação da Universidade Salvador, professor visitante da Universidade do Estado da Bahia e pesquisador do Fraunhofer Bahia. Sua pesquisa é focada em Dívida Técnica, utilizando a engenharia de software experimental como ferramenta de apoio para realização dos trabalhos. Prof. Spínola lidera o Time de Pesquisa em Dívida Técnica (www.tdresearchteam.com). É membro do comitê de várias conferências nacionais e internacionais, além de atuar como revisor de periódicos como IEEE Transactions on Software Engineering, JSS e IST. Adquiriu ampla experiência na indústria antes de se dedicar exclusivamente à academia, incluindo 5 anos como diretor de uma empresa desenvolvedora de software. Possui também experiência em transferência de tecnologia para a indústria, tendo fornecido consultorias e treinamentos para empresas públicas e privadas de diferentes portes. 

Caso da Indústria: Gerenciamento da Dívida Técnica – a experiência da Softexpert

Thober Detofeno é Mestre em Métodos Numéricos (UFPR), com formação superior em Ciências da Computação (UDESC). Atualmente é Product Owner e líder de equipe na Softexpert e doutorando (PUCPR). Possui mais de 15 anos de experiência profissional em desenvolvimento de software e 10 anos de experiência como acadêmico. Participação no desenvolvimento de ferramentas de BI (ETL, OLAP, BSC, Indicadores de Performance, Data Warehouse e Data Mining), Gestão de Riscos, módulos financeiros (Tesouraria, Controle de Ativos e Passivos) e coordenador de desenvolvimento. Amplos conhecimentos em informações gerenciais, banco de dados, modelagem de sistemas, cálculos matemáticos e desenvolvimento para WEB. Como Professor, da Anhanguera e UDESC de Joinville, nas disciplinas na área de Ciências da Computação.

  

Minicurso 2 - Projeto Possibilístico para as Qualidades da Experiência do Usuário

Quinta-feira, 18/10/2018, das 13:30h – 18:00h

Descrição:

As Qualidades da Experiência do Usuário são diversas. Algumas são previsíveis e controláveis, como a Usabilidade e a Acessibilidade. Outras são menos previsíveis e deveras incontroláveis, como a Afetividade e a Beleza. Essas qualidades difíceis de mensurar costumam ser desconsideradas no projeto de software por serem "subjetivas demais" ou irrelevantes. O resultado disso é a redução do software ao status de commodity em nossa sociedade, ou seja, um objeto sem qualidades únicas.

Para recuperar o valor social do software, é preciso reposicioná-lo como uma oferta na Economia da Experiência, servindo como palco para interações estéticas e transformadoras. Isso implica em projetar software de uma maneira completamente diferente do paradigma de controle que orienta a maior parte dos projetos de software hoje.

Nesta oficina, será vivenciada uma abordagem de projeto de software baseada no paradigma da possibilidade. Essa abordagem inclui não só técnicas de avaliação, mas também de observação, percepção, sensação e criação das Qualidades da Experiência do Usuário. As técnicas aproveitam habilidades como a intuição, o talento artístico e a criatividade para lidar com as qualidades imprevisíveis e incontroláveis. O objetivo desta abordagem é produzir softwares que tenham tantos sentidos quanto uma obra de arte e tantos usos quanto um objeto de design.

Neste curso, os participantes entrarão em contato com temas como: Projeto orientado a possibilidades, Fundamentos de Economia da Experiência, O Computador como Teatro, Técnicas teatrais aplicadas ao projeto de software, Prototipação de software com Vídeo Improvisado, Técnicas de Observação Etnográfica, Cocriação com Lego Serious Play, Reflexão Crítica com Design Critique, Teste de Gostabilidade e Modelagem de Emoções.

Instrutor:

Frederick van Amstel é professor da Escola de Arquitetura e Design da PUCPR. Atua na graduação em Design Digital, no programa Apple Developer Academy e na aceleradora de startups Hotmilk. Suas pesquisas na área de Design de Interação já foram publicadas em periódicos internacionais como Design Studies, Simulation & Gaming e Futures. Frederick é conhecido no Brasil pelo seu blog Usabilidoido, que apresenta suas pesquisas de maneira acessível há mais de 13 anos. Graduado em comunicação (UFPR), mestre em tecnologia (UTFPR) e doutor em design (Universidade de Twente), Frederick realiza atualmente uma pesquisa de pós-doutorado no Programa de Pós-graduação em Informática da PUCPR, tratando de temas como ateliê de software, codificação criativa e inovação aberta.

 

 

Minicurso 3 - Desenvolvimento de Sistemas de Software Altamente Configuráveis

Sexta-feira, 19/10/2018, das 13:30h - 18:00

Descrição:

Sistemas de software altamente configuráveis fornecem soluções adaptáveis e flexíveis para problemas complexos do mundo real, adequado a ambientes de desenvolvimento que estão em constante mudança. Trata-se do desenvolvimento de código reutilizável que seja fácil de configurar, construir, testar, implantar e manter. Um software altamente configurável produz código que é menor, mais simples, modular e fracamente acoplado. Seu design simplista e modular cria um código flexível que reduz sobremaneira sua carga de manutenção. Essas características levam a uma redução significativa no custo total de propriedade do software. Este minicurso fará uma introdução ao tema e abordará a técnica FOSD (feature-oriented software development), com aplicações práticas com a FeatureIDE, um framework opensource e extensível que provê suporte ao desenvolvimento de sistemas altamente configuráveis.

Instrutor:

Ivan do Carmo Machado é Professor Adjunto (e atual Chefe) do Departamento de Ciência da Computação da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Doutor em Ciência da Computação pela UFBA (2014) e Mestre em Ciência da Computação pela UFPE (2010). Recebeu os prêmios de Melhor Dissertação de Mestrado e Melhor Tese de Doutorado em Qualidade de Software defendidos no Brasil em 2010 e 2014, respectivamente. É um dos líderes do RiSE Labs, o grupo de pesquisa em Reuso de Software da UFBA. Desenvolve pesquisas na área de Testes e Reuso de Software, em particular na investigação de técnicas que visam melhorar a produtividade e a qualidade dos sistemas de software. É autor de dezenas de artigos científicos nesta temática. Tem desenvolvido projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação com o ecossistema de TIC Baiano. É pesquisador do INES, o INCT para Engenharia de Software.

 

Todos os direitos reservados ao XVII Simpósio Brasileiro de Qualidade de Software.

Desenvolvido por Luan Melo e Cristiane Fabrício.